As dicas da Barra do Bié
para você conhecer Cunha

Pontilhada por ateliês de cerâmica e com paisagens que unem montanhas, plantações de lavanda, cachoeiras e picos com vista para o mar, Cunha tornou-se uma cidade com muitos atrativos para famílias e casais. Localizada no alto do Vale do Paraíba, no interior de São Paulo, mantém pouco mais de 20 mil habitantes e uma economia voltada à pecuária, ao turismo e à agricultura. No Centro, algumas construções relembram o período em que a região fazia parte da rota do ouro (século 18) e do café (séculos 18 e 19), trazendo e levando as riquezas para o litoral. Hoje, a viagem entre Cunha e o mar ganhou ares turísticos. A estrada Cunha-Paraty reúne ótimos restaurantes em área rural, o Parque Estadual da Serra do Mar e a nossa Pousada Barra do Bié.

Distâncias – 235 km de São Paulo e 302 km do Rio de Janeiro

A Barra do Bié está a 37 km de Paraty

Localização – Entre as serras do Quebra-Cangalha, da Bocaina e do Mar, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo

Hidrografia – Abriga as nascentes e bacias dos rios Paraitinga e Paraibuna, ambos formam o rio Paraíba do Sul

Clima – entre 9 °C e 21 °C no inverno, e de 17 °C a 25 °C no verão

Site – cunha.sp.gov.br

Calendário de eventos

Janeiro

Festival Jazz & Blues

Mais informações

Folia de Reis

Mais informações

Fevereiro

Carnaval de rua

Mais informações

Março/Abril

Festa de São José, na Páscoa

Mais informações

Abril/Maio

Festa do Pinhão

Mais informações

Junho

Corpus Christi – Festa da Apae

Mais informações

Festá na praça

Mais informações

Lua na Luneta

Mais informações

Julho

Festival de Inverno

Mais informações

Agosto

Festa Gastronômica do Cordeiro Serrano

Mais informações

Setembro

Expocunha e Peão Valente

Mais informações

Outubro

Festival de Cerâmica

Mais informações

Novembro

Festival Canta Violeiro

Mais informações

Festa Gastronômica da Truta

Mais informações

Dezembro

Festa da Padroeira (Nossa Senhora da Conceição)

Mais informações

Natal Luz

Mais informações

lavandas-

Atrações

Ateliê Renato Carvalho
Design único e exclusivo com pedras brasileiras e prata 950. Rua Geronimo Mariano Leite, 185, Vila Rica.

Mais informações

 

Ateliê Lápis-Lazúli
Ateliê de joias em prata. Rua Gerônimo Mariano Leite, 462, Vila Rica. Tel.: (12) 99704.5221.

Mais informações

 

Cerâmica
Em 1975, um grupo de jovens artistas, formado por Toshiyuki e Mieko Ukeseki, Alberto Cidraes e os irmãos Vicco e Toninho Cordeiro, encontrou na geografia de Cunha e no apoio da prefeitura os elementos para a produção da arte da cerâmica. Construíram no matadouro municipal o primeiro forno a lenha, do tipo noborigama. Esta técnica que une influências oriental e indígena-ibérica de produzir cerâmica consiste em aquecer as peças em fornos a lenha de alta temperatura (até 1.400 °C). No Brasil, é estimada a existência de 20 fornos noborigama, cinco atuantes em Cunha. Com ateliês na cidade até hoje, Alberto Cidraes (Ateliê do Antigo Matadouro, rua Manuel Prudente de Toledo, 461, www.cidraes.com) e Mieko Konishi (Ateliê Mieko e Mario Konishi, rua Gerônimo Mariano Leite, 510) abriram as portas para uma leva de seguidores. Além dos dois ateliês pioneiros, os principais endereços da cerâmica noborigama em Cunha são: Suenaga e Jardineiro (rua Dr. Paulo Jarbas da Silva, 150, www.ateliesj.com.br), Leí Galvão e Augusto Campos (Oficina de Cerâmica, avenida Antônio Luiz Monteiro, 816) e Atelier Gallery Tokai (rua Gerônimo Mariano Leite, 350, www.gallerytokai.blogspot.com.br). Com o tempo, surgiram ateliês que trouxeram outras técnicas ceramistas – a mais conhecida delas é a raku. Entre eles, estão: José Carlos de Carvalho (Carvalho Cerâmica, rua Gerônimo Mariano Leite, 190), que utiliza esgrafito e esgrafito com colagem; Atelier Cristiano e Sandra Quirino (rua Manoel Prudente de Toledo, 474), que vende peças aquecidas em fornos a gás e associam barro e pedra; e o casal Mali e Wagner Gambaré, que produz a cerâmica na técnica raku (Gaia Arte Cerâmica, rua Alcides Barbeta, 250).

 

Abertura de Fornada

Os ceramistas de Cunha (praticantes das técnicas noborigama e raku) realizam vários eventos ao ano para mostrar ao público o processo final de seu trabalho artesanal. É quando eles tiram as peças, já esmaltadas, dos fornos. Além de ter em primeira mão uma leva fresquinha de uma nova coleção para comprar, os turistas podem nestas datas receber diretamente do artesão a explicação de todo o processo de produção da peça. Para encher de peças um forno noborigama, por exemplo, são necessários cerca de três meses de trabalho dos ceramistas. Depois de moldados, os objetos são queimados e esfriam por alguns dias até receberem o acabamento e voltarem ao forno para a Abertura de Fornada. O evento, gratuito, costuma ocorrer em datas como o Carnaval, a Páscoa, o início das férias de julho, o feriado da Independência e a primeira semana de dezembro.

 

Parque Estadual da Serra do Mar

Fica em uma área de preservação ambiental, tendo quatro trilhas – uma delas pode ser feita de bicicleta. A mais fácil e rápida, a da Paraibuna, dura 1h10 minutos (ida e volta), é autoguiada, tem 1,7 mil metros de extensão e passa por três cachoeiras formadas pelo Rio Paraibuna – há poços para banho e dois bebedouros naturais pelo caminho. As outras duas trilhas a pé partem com guia às 10h e precisam ser agendadas na sede do parque com três dias de antecedência: a do Rio Bonito dura 3h30 (ida e volta), com 7,6 km de extensão, e a das Cachoeiras possui 14,4 km e dura seis horas, mas parte do caminho pode ser feito de carro. Estrada da Paraibuna, km 20 (acesso pela Rodovia Cunha-Paraty, km 56,5), 2ª/dom, das 8h às 16h. Tel.: (12) 3111-2353 e (12) 3111-1818.
Mais Informações

 

Pedra da Macela

Do alto da pedra você consegue ver a divisa entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, e o mar que banha a Ilha Grande e as baías de Paraty e Angra dos Reis. Para chegar lá, são 2 km de caminhada íngreme a partir do estacionamento (acesso pela Estrada Cunha-Paraty, km 66). No inverno, o céu é mais limpo e a vista fica deslumbrante. Evite os dias nublados.

 

Lavandário

São milhares de pés de lavanda plantados no alto de uma montanha, com vista para a serra e para a Estrada Cunha-Paraty. Além de fazer belas fotos, você pode comprar produtos à base de lavanda, como biscoitos e cosméticos. O pôr do sol aqui é imperdível. Estrada Cunha-Paraty, km 54,7.
Mais informações

 

Vale Radical

Além da canoagem em rios, o passeio oferece rapel, trilhas e aluguel de mountain bike.
Estrada da Capivara (2 km de terra), acesso pelo km 42 da Rodovia Guará-Cunha. Tel.: (012) 98147-6485.

Mais informações

 

Contemplário

Além de um gostoso café, vale passear pelos campos de lavanda. No local, também pode-se comprar produtos naturais e caseiros feitos à base da planta: aromatizantes, sabonetes, arranjos. Rodovia Cunha- Paraty, Km 61,5. Tel.: (12) 98107-7614.

Mais informações

 

Fazenda Aracatu

Tudo começou com uma banquinha, onde os donos vendiam itens produzidos na fazenda, como leite, queijo e pinhão. Hoje, em um grande galpão de madeira, há um pouco de tudo: uma cafeteria, uma sorveteria (com sorvete caseiro feito com leite do gado Jersey da fazenda) e produtos da roça. Tem leite fresco, queijo, doces, salames artesanais de Cunha, compotas, bolo de pinhão, shitake e vinhos. Estrada Cunha-Paraty, km 56. Tel.: (012) 99604-4796.

 

Oficina de lã

Desde 2007, um grupo de artesãs do bairro Paraibuna, em Cunha, confecciona tapetes e almofadas com uso da lã de ovinos de criadores da região. Juntas, elas tosquiam e lavam a lã a frio. As peças não recebem nenhum tipo de tingimento. Vizinho à cooperativa, o Sítio Yawara coordena os trabalhos e fornece parte da lã. As visitas podem ser feitas aos sábados e domingos (das 9h às 17h) ou agendadas. No local, também é vendido mel, feijão e carne de cordeiro. Estrada da Paraibuna, km 8,5, com acesso pelo km 56 da Estrada Cunha-Paraty. Tel.: (12) 3111-5212.

Mais informações

 

Amprasp

A associação dos moradores e produtores rurais dos bairros Rio Abaixo, Rodeio, Sítio e Paraibuna oferece acompanhamento de visitas a propriedades rurais e outras atrações turísticas do Eixo da Estrada do Paraibuna, em Cunha. Nelas, o guia promove explicações detalhadas sobre as atividades produzidas. As saídas, com horário a combinar, ocorrem sempre a partir da sede da Amprasp, que fica na Estrada do Paraibuna, km 6.5. Tel.: (12) 99710-0963.

ceramica-

Restaurantes & Comidinhas

Drão

Alameda Lavapés, 560.
Tel.: (12) 3111-1326.
Mais informações

La Taverne Bistrô

Estrada para Pedra da Macela, 500 m, acesso pelo km 65,5 da Estrada Cunha-Paraty. Tel.: (12) 3111-6039.
Mais informações

Melhor Hora

End.: Rua João Manoel Rodrigues, 38, Centro. Tel.: (12) 3111-3363.
Mais informações

O Gnomo

Estrada Guará-Cunha-Paraty, km-43. Tel.: (12) 99734-8869
Mais informações

Moara Empório e Café

Rodovia Cunha/Paraty, km 56,9. Tel.: (12) 98195.3479

Bar da Vila / Adega Cunha

Rua Prof. Alcides Nogueira, 288, Vila Rica. Tel.: (12) 3111-1417.

Restaurante Villa Favorita

Estrada Cunha/Paraty, km 65,2

Delícias da Roça

Estrada da Paraibuna, km 9,5, accesso pelo km 60,5 of Estrada Cunha-Paraty. (12) 3111-1578Tel.: (12) 3111-1578.

Mais informações

Raízes Bistrô Italiano

Estrada Cunha-Paraty, km 51,3 (seguir as indicações das placas). Acesso aconselhado a veículos altos.
Mais informações

Café & Arte

Rua Comendador João Vaz, 16, Praça Matriz, Centro.
Tel.: (12) 3111-2521.
Mais informações

Antigo Caminho do Ouro

Estrada Cunha-Paraty, km 64.
Tel.: (12) 97405-0300.
Mais informações

Doceria da Cidinha

Praça Cônego Siqueira, 129, Centro.
Tel.: (12) 3111-1170.
Mais informações

Casa da Serra

Estrada Cunha-Paraty, km 60,5.
Tel.: (12) 3111-5225.
Mais informações

Cervejaria Wolkenburg

SP-171 p/ Paraty, Km 65 (2 km de terra). Tel.: (12) 3111-6048
Mais informações

Quebra-Cangalha

R. Manoel Prudente de Toledo, 540.
Tel.: (12) 3111-2391, (12) 8144-0203 e
(12) 9745-1902.
Mais informações